quinta-feira, 23 de março de 2017

Inari sushi




O inari sushi não é o mais conhecido nem o mais popular, principalmente aqui no Brasil, mas, é o meu preferido de longa data. Saboroso e 100% vegan, desde que não se use o soboro, que é esse complemento cor de rosa à base de peixe seco, usado na decoração. O inari sushi é encontrado em alguns restaurantes orientais mais tradicionais e nos famosos bentôs das lojinhas japonesas. É bem diferente dos outros sushis, mas é muito fácil de fazer.Utilizo a versão facilitada da receita, que certamente não é a original do Japão, porém garante um bom resultado final. Vale a pena experimentar.

Inari sushi


Ingredientes para o sushi ague:
1 pacote de sushi ague (12 unidades ou 110 gramas)
750 ml de água
3 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu)
3 colheres (sopa) de saquê
1 envelope de caldo de legumes desidratado
1 pitada de glutamato monossódico

Ingredientes para o arroz:
1 e 1/2 xícara (chá) de arroz para sushi
3 xícaras (chá) de àgua
1 colher (sopa) de saquê
1 colher (sopa) de açúcar
1/2 colher (café) de sal
12 colheres (sopa) de vinagre de arroz

Ingredientes para montar o inari sushi:
wasabi, soboro (os veganos não devem usar, pois é feito à base de peixe seco), filetes bem finos de gengibre fresco e gergelim preto.

Modo de fazer o sushi ague:
Corte os quadradinhos de ague ao meio. Coloque em uma panela e leve para cozinhar juntamente com a agua, o saquê, o açúcar, o shoyu, o caldo de legumes e o glutamato. Deixe cozinhar até que o ague fique macio, porém firme.Escorra e deixe esfriar. Quando esfriar pressione levemente com as mãos, para que escorra o máximo possível do liquido. Reserve.

Modo de fazer e temperar o arroz:
Lave muito bem o arroz, até que a agua saia bem clarinha. Escorra. Coloque em uma tigela e  junte a agua. Deixe descansar por pelo menos 30 minutos. Despeje a agua e o arroz em uma panela e deixe cozinhar em fogo brando até o liquido secar e o arroz ficar macio. Desligue o fogo e despeje o arroz em uma tigela grande. Mexa um pouco para aerar o arroz. Reserve. Faça o tempero misturando o vinagre , o açúcar, o sal e o saquê. Coloque em uma panelinha e leve para aquecer levemente (não deixe ferver). Vá despejando essa mistura sobre o arroz e misturando rapidamente, até acabar a mistura. Deixe o arroz esfriar.




Montagem do prato:
Abra as metades de ague cozido e escorrido, com cuidado, usando os polegares das duas mãos.
Passe um pouquinho de wasabi no fundo, e vá enchendo com o arroz já temperado.



Pressione ligeiramente com os polegares. Coloque em uma travessa e enfeite cada inari sushi com os filetes de gengibre, o soboro (este opcional está fora de cogitação para os veganos pois é feito de peixe seco) por fim o gergelim preto.
Bom apetite!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Tofu frito e molho oriental agridoce.


Para mim, ao contrário da maioria das pessoas que come o tofu cru acompanhado de molho, eu amo tofu frito. Fica delicioso, acompanhado de um molho agridoce, receita de minha sogra da Indonésia. Vou deixar a sugestão para quem quiser experimentar.

Compro o tofu fresco. Prefiro o caseiro e não transgênico.


Para evitar que espirre muito na hora da fritura,  tiro da embalagem uma hora antes de usar e deixo escorrer todo o liquido.


Corto em cubos.

Ponho uma panelinha com óleo no fogo médio. Deixo aquecer. Coloque os cubos de tofu e deixo fritar até que fiquem firmes e dourados.


Retiro do óleo e coloco em uma tigela forrada com papel absorvente para retirar o o excesso de óleo.

Enquanto isso, preparo o molho com os seguintes ingredientes: 
40 ml de shoyu ou molho de soja
60 ml de vinagre (vinagre de vinho tinto, de arroz ou maçã)
3 dentes de alho
1/2 cebola pequena fatiada bem fina
2 colheres (sopa) de açúcar (usei tipo cristal)
1/2 pimenta dedo de moça (para um molho razoavelmente picante)

Modo de fazer:


Coloque o açúcar e o alho em uma tigelinha. Amasse o alho com um amassador, misturando com o açúcar, que ajuda a desfazer o alho.


Junte a cebola fatiada e amasse mais um pouco.


A seguir, adicione a pimenta dedo de moça. Se quiser um molho mais picante aumente a quantidade de pimenta.


Por fim, acrescente o shoyu e o vinagre. Misture bem, até sentir que o açúcar dissolveu.
Agora, o molho está pronto, para acompanhar o tofu frito.




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Berinjela acebolada ou uma conserva com gostinho italiano.



A berinjela é uma esponjinha deliciosa que absorve todo o molho ou tempero adicionado a ela. Rica em cálcio, ferro, fósforo e vitamina B, ajuda no controle do colesterol. Nesta receita típica na Itália, ela vem acompanhada de muita cebola crua, que é rica em vitaminas B, C e E, juntamente com os minerais, potássio, magnésio, fosforo e cálcio. Diurética, auxilia no controle da hipertensão. Cardiotônica, através do potássio, atua diretamente no coração e demais músculos.

A receita é simples, e super prática, pois pode ser guardada na geladeira, e cada dia que passa fica mais gostosa. Ideal para servir no pão, acompanhada de tomates ou ainda, com arroz integral. Fica uma delícia acompanhando arroz e feijão ou com macarrão de arroz.

Berinjela acebolada.
Ingredientes:
4 berinjelas médias
2 cebolas médias
2 colheres (sopa) de óleo
3 colheres (sopa) de vinagre ( de vinho tinto, arroz ou maçã)
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
sal
pimenta do reino
orégano

Modo de fazer:



Descasque as berinjelas e pique em cubos pequenos.


Aqueça o óleo em uma frigideira ou panela.


Coloque os cubos de berinjela e mantenha o fogo médio.


Vá mexendo sempre, até que os cubos comecem a murchar.


Quando estiverem dourados e macios, desligue o fogo. Reserve.


Descasque as cebolas e fatie em fatias bem finas.


Usei um fatiador, mas se for utilizar um,  tome muito cuidado com os dedos.


Tempere as cebolas com o vinagre, o sal ( usei o rosa do Himalaia), a pimenta do reino, o orégano e o azeite extra virgem.


Misture bem e deixe descansar uns 10 minutos. 


Junte a berinjela. Prove o sal e corrija se precisar. Tampe e leve à geladeira.


 O ideal é começar a consumir pelo menos 24 horas depois de fazer. A cebola fica macia e o sabor de "conserva" se intensifica.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Homus



Adoro homus. É um prato versátil que pode ser usado de várias formas. Desde recheio de torta fria, até como entrada, servido em bolachinhas, pedaços de pão sírio ou torradas. A vantagem deste prato, que além de super fácil de fazer é uma fonte abundante de proteína e todo mundo gosta. No verão então, é uma delícia. Gosto de servir acompanhado de pão, vinagrete ou salada de tomates e alface.

A base dele é o grão de bico, também chamada de grão da felicidade. O grão de bico é rico em triptofano, um aminoácido essencial para a produção de serotonina,  a grande responsável pela sensação de bem estar e bom humor, Tão bom quanto o chocolate, no quesito produção de serotonina, mas com a vantagem de ser menos calórico e rico em fibras.
 Podemos utilizar o grão seco, o congelado, em conserva de  lata ou de caixinha. Fica bom de qualquer jeito.
No meu caso, usei o seco, que ficou reidratando em água, durante a noite. 
A receitinha básica que uso sempre...

Homus
Ingredientes:
300 gramas de grão de bico seco (ou 500 gramas  em conserva ou congelado)
1 colher de óleo
1 folha de louro
8 dentes de alho
1/4 de xícara (chá) de suco de limão
1 colher (sopa) de cominho (usei em grão)
1 colher (chá) cheia de tempero harissa ( opcional)
1/2 xícara (chá) de tahine
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
1 colher (sobremesa) de sal
1/2 copo de água mineral  gelada

Modo de fazer:

Se for usar o grão de bico seco, deixe reidratando em uma tigela com bastante água. O dobro do volume do grão de bico. No dia seguinte, escorra a água. Coloque o grão de bico em uma panela de pressão com água. Dois dedos acima do grão de bico. Coloque a folha de louro, três dentes de alho e o óleo.


Deixe cozinhar por 30 minutos ou até que fique macio. Use fogo médio.


Espere acabar a pressão e abra a panela. 


Escorra a água e retire a folha de louro. Se for usar o grão de bico em conserva, comece a receita por aqui.


Coloque o grão de bico  no processador (ou liquidificador) juntamente com mais 5 dentes de alho cru. Se não gostar do sabor de alho reduza a quantidade. Junte o tahine, o azeite, o cominho, o sal, o suco de limão e por fim o tempero harissa, que é uma mistura de temperos de origem marroquina. A base é a pimenta vermelha,   misturada com várias outras especiarias. Este item é opcional, mas eu uso porque acho que agrega sabor, cor e aroma ao homus.


Ligue o processador e deixe até que a mistura se transforme em um creme espesso e homogêneo. Se ficar muito firme, e quiser mais cremosidade, acrescente um pouco de água mineral gelada e misture bem.

Prove o sal e corrija, se precisar. Sirva ou guarde na geladeira até a hora que servir. Se ressecar um pouco, aumenta a cremosidade com um pouco mais de azeite.



terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Creme de inhame



O inhame é da mesma família da batata doce e do cara. Tem propriedades que ainda estão sendo estudadas, mas com certeza fortalece o sistema imunológico. Sem falar que é nutritivo e não é dos mais calóricos. Só isso já deixaria o inhame muito interessante, mas há estudos que sustentam, que o consumo do inhame, reduz a possibilidade de contrair dengue, por tornar o sangue pouco  "apetitoso" ao mosquito transmissor. O inhame também tem um fito-hormônio chamado  diosgenina, que reduz os desconfortos típicos da menopausa. 
Não bastassem todas essas propriedades, ele é uma delicia. Escolhas os mais redondos e tenros e faça com eles um creme delicioso.

Estes da foto, são os que encontramos nos mercados, mas se quiser e tiver um pedacinho de terra disponível, plante alguns que já estejam brotados. Depois de algum tempo pode colher os seus.


Estes acabei de colher do meu jardim.



Depois de limpos e lavados.
Fica aqui a sugestão fácil e gostosa, para quem quiser experimentar.

Creme de inhame.
Ingredientes:
500 gramas de inhames
água
sal
2 colheres (sopa) cheias de  pasta de gergelim tahine (ou se preferir tempere com azeite de oliva ou óleo de coco)
3 colheres (sopa) cheias de salsa picada
pimenta do reino
cebolinha picada para decorar

Modo de fazer:

Lave bem os inhames. Descasque.


Já descascados



Proceda como no cozimento de batatas ou de outros legumes e tubérculos. Leve ao fogo em uma panela com água suficiente para cobrir os inhames. Tempere com sal, aproximadamente 1 colher (chá). Deixe cozinhar até que fiquem bem macios. Mais ou menos 25 minutos. Escorra a água.



Amasse com um amassador ou com um garfo.



Tempere com sal, pimenta do reino, salsinha picada ou azeite de oliva/ óleo de coco

Se optar pela versão temperada com tahine, você terá uma preparação mais rica em proteínas. 


Cada colher (sopa) tem 4 gramas de proteína. 


Junte o tahine, sal, salsinha picada e pimenta do reino. Misture bem. Decore com cebolinha picada.

quarta-feira, 4 de janeiro de 2017

Couscous vegetariano


Couscous é uma delícia que não tem nada a ver com o que conhecemos como cuscuz aqui no Brasil. É um produto típico dos países do norte da Africa. São grãos à base de semolina de trigo, que depois de hidratados e temperados, podem ser combinados de mil maneira. Seja com com molhos ou  ingredientes variados. Servido quente ou frio, é uma  ótima opção, principalmente para os dias quentes e nas férias de verão. Super fácil de fazer. É um alimento energético, versátil e não dá trabalho nenhum. Melhor ainda é que as crianças adoram. Também é uma opção muito boa, para fazer  salada no pote. A marmita ideal para levar ao trabalho.


Usei o couscous da Barilla. Os grãozinhos são bem miúdos mas deliciosos e soltinhos. O couscous marroquino ou tunisiano costuma ter os grãos maiores, mas a maneira de usar é exatamente a mesma.

Pode ser servido em travessas, para a família, ou em copinhos charmosos, na versão festa.

Para quem quer oferecer uma receita diferente e muito gostosa. Deixo aqui a sugestão:

Couscous vegetariano

1  xícara (chá) couscous
2 xícaras (chá) de água
1 colher (sopa) de azeite
1 colher (café) de tempero para paella (opcional) ou outro de sua preferencia
1/2 colher rasa (sopa) de sal
250 gramas de cogumelos (de sua preferencia) frescos levemente cozidos e cortados em pedaços médios (se preferir pode usar em conserva)
1/2 xícara (chá) de tomatinhos tipo sweet grape miúdo 
1 xícara de milho verde cozido (pode substituir por feijão, ervilha, lentilha, grão de bico ou outra leguminosa que preferir) 
1/4 de xícara (chá) de cebola picada em cubos bem pequenos
1/4 de xícara (chá) de salsinha picada
1 colher (sopa) de vinagre de maçã
1 colher (sopa) de azeite extra virgem
sal
algumas azeitonas para decorar (pretas ou verdes)

Modo de fazer:

Coloque o couscous seco em uma tigela média. Reserve. Leve ao fogo uma panela com a água, o sal, a colher de sopa de azeite e o tempero de paella. Deixe ferver. Desligue o fogo e despeje sobre os grãos de couscous . Mexa bem.Tampe e deixe hidratando por 30 minutos.
Enquanto isso em uma tigela maior, coloque os tomates, a salsinha, a cebola picada. Junte o  milho e os cogumelos. Tempere com o vinagre, um pouco de sal e o azeite. Reserve.


Passados os 30 minutos, os grãos terão dobrado de tamanho. Devem ficar sequinhos e soltos. 
Mexa com um garfo para afofar e soltar os grãos.

Junte o couscous já temperado e hidratado aos demais ingredientes da tigela maior. Misture delicadamente.  Decore com as azeitonas. 

Pronto!! Sirva morno ou frio. 


quinta-feira, 6 de outubro de 2016

Como fazer seitan ou ragu de carne vegetal com cogumelos


Adoro seitan. Há mais de 30 anos utilizo esse ingrediente em receitas variadas. Minhas crianças, hoje adultas, sempre gostaram muito da textura. Elas diziam que era a carne molinha. Na verdade, é como uma esponja que absorve qualquer molho. 
É um alimento milenar que vem do oriente, assim como a palavra seitan, que é de origem japonesa e quer dizer  feito de proteína.
Essa é a chave da importância do seitan na dieta vegetariana/vegana: é pura proteína. Justamente o que mais falta em uma dieta que prioriza vegetais. Sendo assim, incluir o seitan no cardápio e se possível potencializar seu efeito com produtos que completem o aporte de proteínas, é um passo acertado para uma dieta equilibrada.

Sem falar que o seitan é muito gostoso, versátil e de fácil digestão. Só está proibido aos que tem intolerância ao glúten, pois ele nada mais é do que puro glúten, a proteína contida no cereal.

A outra desvantagem dele, é que rende pouco. Isso explica o preço alto cobrado por ele. Mas, é muito fácil de fazer. Fica também, uma deliciosa receita de seitan com cogumelos.

 Seitan

Ingredientes:
8 xícaras (chá) de farinha de trigo orgânica peneirada
3 xícaras (chá) de água mineral

Modo de fazer:


Peneire a farinha e adicione a água aos poucos, misturando com as mãos.


Vá misturando até que a farinha fique toda incorporada e comece a desgrudar das mãos.


Coloque a massa sobre a bancada e comece a rasgar, para separar o glúten e o amido.


Depois enrole a massa de novo.


Repita o movimento de rasgar e enrolar por 5 minutos.


Deixe a massa descansar na bancada por 5 minutos.Retome o processo de rasgar e enrolar por mais 5 minutos.


Coloque a massa em uma tigela. Cubra com água e tampe.Leve à geladeira de 4 a 5 horas.


Retire a massa da geladeira. Rasgue e aperte. Escorra a água.


Repita a operação de rasgar, e apertar a massa, trocando a água, até que a água fique limpa. Assim lavará todo o amido e só restará o glúten.


Escorra bem e aperte a massa.


Nesse ponto, já temos seitan. Pode ser congelado. Basta escorrer bem e guardar no freezer em um saco plástico. Ficará perfeito para ser usado quando quiser.

Para terminar o processo do seitan ou carne vegetal, cozinhe o seitan em um caldo composto por:

500 ml de água
1/4 de xícara (chá) de shoyu
1 dente de alho inteiro
1 colher (sopa) de azeite

Coloque o seitan nessa mistura e cozinhe por 20 minutos. Escorra.


O seitan está pronto para ser usado como desejar. Fica aqui uma receitinha fácil e gostosa.

 Ragu de carne vegetal com cogumelos.

2 colheres (sopa) de azeite
1 cebola média picada em cubos
pimenta do reino
2 xícaras (chá) de seitan picado
1 xícara (chá) de cogumelos  picados (use o que mais gostar, frescos ou em conserva)
1 colherer (sopa) de shoyu
1 colher (sopa) de mostarda
2 colheres (sopa)  de extrato de tomate
1/2 xícara (chá) de água
sal

Modo de fazer:


Pique o seitan e os cogumelos. Nesta receita usei champignons em conserva, mas pode usar o cogumelo que desejar. Fresco ou em conserva.

Refogue a cebola no azeite e tempere com pimenta do reino. Junte o seitan e os cogumelos, se eles forem frescos. Refogue. Coloque a água, o shoyu, o extrato de tomate e a mostarda. Misture bem e deixe cozinhar por 5 minutos com a panela tampada. Se estiver usando cogumelos em conserva, coloque depois desse cozimento. Misture bem e prove o sal. Deixe refogar mais um minuto e desligue o fogo.


Prontinho para servir acompanhado de arroz.