domingo, 29 de outubro de 2017

Refogado de maxixe



Uma grande variedade de legumes, folhagens e leguminosas compondo uma dieta vegana é fundamental para melhorar o aporte de nutrientes, garantindo uma dieta mais saudável e mais saborosa.
 Usar os produtos da estação sejam eles frutas, legumes e folhagens permite aproveitar o que há de melhor tanto em qualidade do alimento quanto em sabor. Sem falar na economia, pois produto da estação sempre está com o melhor custo/benefício.
Na busca por variedade de sabores e nutrientes é sempre bom não ter medo de experimentar. Confesso que aos quase 60 anos, foi a primeira vez que "ousei" preparar e experimentar maxixe e surpresa, foi uma descoberta muito prazerosa.
Não sei se era aquela aparência "espinhosa" que me mantinha longe dele, mas confesso, que o sabor me surpreendeu e no final das contas os "espinhos" não eram nada demais.  Rico em fibras, vitamina B1, vitamina C (cru), fósforo, ferro, zinco, magnésio e manganês.
  Muito mais saboroso que o chuchu, pode ser feito de várias maneira. Aqui fica a sugestão que pode ser acompanhada de arroz integral ou purê de inhame. Fica uma delícia.

Maxixe refogado.
Ingredientes: 
6 maxixes
2 colheres (sopa) de  azeite
1/2 pimenta dedo de moça
3 dentes de alho picados
1 cebola média picada
1  pimentão verde, pequeno, picado
4 tomates sem pele picados 
1 colher (chá) de cominho
sal
pimenta do reino
200 ml de água
 Modo de fazer:
Lave bem o maxixe. Raspe os "espinhos" com uma faca ou se preferir, o método que eu considero mais prático:


Passe o maxixe no ralo grosso até retirar toda a casca . 
                                      


Corte em gomos ou rodelas.


Coloque o azeite na panela. Quando estiver quente junte o alho e a pimenta dedo de moça. Refogue até começar a dourar e adicione a cebola. Junte o cominho . Refogue até a cebola murchar.


Junte o pimentão picado, refogue por uns 3 minutos e adicione o tomate picado. 


A seguir junte o maxixe e a água. Tempere com o sal e a pimenta do reino.


Coloque no fogo médio/baixo. Tampe a panela e deixe cozinhar por 30 minutos.


Está pronto!

quinta-feira, 23 de março de 2017

Inari sushi




O inari sushi não é o mais conhecido nem o mais popular, principalmente aqui no Brasil, mas, é o meu preferido de longa data. Saboroso e 100% vegan, desde que não se use o soboro, que é esse complemento cor de rosa à base de peixe seco, usado na decoração. O inari sushi é encontrado em alguns restaurantes orientais mais tradicionais e nos famosos bentôs das lojinhas japonesas. É bem diferente dos outros sushis, mas é muito fácil de fazer.Utilizo a versão facilitada da receita, que certamente não é a original do Japão, porém garante um bom resultado final. Vale a pena experimentar.

Inari sushi


Ingredientes para o sushi ague:
1 pacote de sushi ague (12 unidades ou 110 gramas)
750 ml de água
3 colheres (sopa) de açúcar
3 colheres (sopa) de molho de soja (shoyu)
3 colheres (sopa) de saquê
1 envelope de caldo de legumes desidratado
1 pitada de glutamato monossódico

Ingredientes para o arroz:
1 e 1/2 xícara (chá) de arroz para sushi
3 xícaras (chá) de àgua
1 colher (sopa) de saquê
1 colher (sopa) de açúcar
1/2 colher (café) de sal
12 colheres (sopa) de vinagre de arroz

Ingredientes para montar o inari sushi:
wasabi, soboro (os veganos não devem usar, pois é feito à base de peixe seco), filetes bem finos de gengibre fresco e gergelim preto.

Modo de fazer o sushi ague:
Corte os quadradinhos de ague ao meio. Coloque em uma panela e leve para cozinhar juntamente com a agua, o saquê, o açúcar, o shoyu, o caldo de legumes e o glutamato. Deixe cozinhar até que o ague fique macio, porém firme.Escorra e deixe esfriar. Quando esfriar pressione levemente com as mãos, para que escorra o máximo possível do liquido. Reserve.

Modo de fazer e temperar o arroz:
Lave muito bem o arroz, até que a agua saia bem clarinha. Escorra. Coloque em uma tigela e  junte a agua. Deixe descansar por pelo menos 30 minutos. Despeje a agua e o arroz em uma panela e deixe cozinhar em fogo brando até o liquido secar e o arroz ficar macio. Desligue o fogo e despeje o arroz em uma tigela grande. Mexa um pouco para aerar o arroz. Reserve. Faça o tempero misturando o vinagre , o açúcar, o sal e o saquê. Coloque em uma panelinha e leve para aquecer levemente (não deixe ferver). Vá despejando essa mistura sobre o arroz e misturando rapidamente, até acabar a mistura. Deixe o arroz esfriar.




Montagem do prato:
Abra as metades de ague cozido e escorrido, com cuidado, usando os polegares das duas mãos.
Passe um pouquinho de wasabi no fundo, e vá enchendo com o arroz já temperado.



Pressione ligeiramente com os polegares. Coloque em uma travessa e enfeite cada inari sushi com os filetes de gengibre, o soboro (este opcional está fora de cogitação para os veganos pois é feito de peixe seco) por fim o gergelim preto.
Bom apetite!

quarta-feira, 25 de janeiro de 2017

Tofu frito e molho oriental agridoce.


Para mim, ao contrário da maioria das pessoas que come o tofu cru acompanhado de molho, eu amo tofu frito. Fica delicioso, acompanhado de um molho agridoce, receita de minha sogra da Indonésia. Vou deixar a sugestão para quem quiser experimentar.

Compro o tofu fresco. Prefiro o caseiro e não transgênico.


Para evitar que espirre muito na hora da fritura,  tiro da embalagem uma hora antes de usar e deixo escorrer todo o liquido.


Corto em cubos.

Ponho uma panelinha com óleo no fogo médio. Deixo aquecer. Coloque os cubos de tofu e deixo fritar até que fiquem firmes e dourados.


Retiro do óleo e coloco em uma tigela forrada com papel absorvente para retirar o o excesso de óleo.

Enquanto isso, preparo o molho com os seguintes ingredientes: 
40 ml de shoyu ou molho de soja
60 ml de vinagre (vinagre de vinho tinto, de arroz ou maçã)
3 dentes de alho
1/2 cebola pequena fatiada bem fina
2 colheres (sopa) de açúcar (usei tipo cristal)
1/2 pimenta dedo de moça (para um molho razoavelmente picante)

Modo de fazer:


Coloque o açúcar e o alho em uma tigelinha. Amasse o alho com um amassador, misturando com o açúcar, que ajuda a desfazer o alho.


Junte a cebola fatiada e amasse mais um pouco.


A seguir, adicione a pimenta dedo de moça. Se quiser um molho mais picante aumente a quantidade de pimenta.


Por fim, acrescente o shoyu e o vinagre. Misture bem, até sentir que o açúcar dissolveu.
Agora, o molho está pronto, para acompanhar o tofu frito.




segunda-feira, 23 de janeiro de 2017

Berinjela acebolada ou uma conserva com gostinho italiano.



A berinjela é uma esponjinha deliciosa que absorve todo o molho ou tempero adicionado a ela. Rica em cálcio, ferro, fósforo e vitamina B, ajuda no controle do colesterol. Nesta receita típica na Itália, ela vem acompanhada de muita cebola crua, que é rica em vitaminas B, C e E, juntamente com os minerais, potássio, magnésio, fosforo e cálcio. Diurética, auxilia no controle da hipertensão. Cardiotônica, através do potássio, atua diretamente no coração e demais músculos.

A receita é simples, e super prática, pois pode ser guardada na geladeira, e cada dia que passa fica mais gostosa. Ideal para servir no pão, acompanhada de tomates ou ainda, com arroz integral. Fica uma delícia acompanhando arroz e feijão ou com macarrão de arroz.

Berinjela acebolada.
Ingredientes:
4 berinjelas médias
2 cebolas médias
2 colheres (sopa) de óleo
3 colheres (sopa) de vinagre ( de vinho tinto, arroz ou maçã)
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
sal
pimenta do reino
orégano

Modo de fazer:



Descasque as berinjelas e pique em cubos pequenos.


Aqueça o óleo em uma frigideira ou panela.


Coloque os cubos de berinjela e mantenha o fogo médio.


Vá mexendo sempre, até que os cubos comecem a murchar.


Quando estiverem dourados e macios, desligue o fogo. Reserve.


Descasque as cebolas e fatie em fatias bem finas.


Usei um fatiador, mas se for utilizar um,  tome muito cuidado com os dedos.


Tempere as cebolas com o vinagre, o sal ( usei o rosa do Himalaia), a pimenta do reino, o orégano e o azeite extra virgem.


Misture bem e deixe descansar uns 10 minutos. 


Junte a berinjela. Prove o sal e corrija se precisar. Tampe e leve à geladeira.


 O ideal é começar a consumir pelo menos 24 horas depois de fazer. A cebola fica macia e o sabor de "conserva" se intensifica.


sexta-feira, 20 de janeiro de 2017

Homus



Adoro homus. É um prato versátil que pode ser usado de várias formas. Desde recheio de torta fria, até como entrada, servido em bolachinhas, pedaços de pão sírio ou torradas. A vantagem deste prato, que além de super fácil de fazer é uma fonte abundante de proteína e todo mundo gosta. No verão então, é uma delícia. Gosto de servir acompanhado de pão, vinagrete ou salada de tomates e alface.

A base dele é o grão de bico, também chamada de grão da felicidade. O grão de bico é rico em triptofano, um aminoácido essencial para a produção de serotonina,  a grande responsável pela sensação de bem estar e bom humor, Tão bom quanto o chocolate, no quesito produção de serotonina, mas com a vantagem de ser menos calórico e rico em fibras.
 Podemos utilizar o grão seco, o congelado, em conserva de  lata ou de caixinha. Fica bom de qualquer jeito.
No meu caso, usei o seco, que ficou reidratando em água, durante a noite. 
A receitinha básica que uso sempre...

Homus
Ingredientes:
300 gramas de grão de bico seco (ou 500 gramas  em conserva ou congelado)
1 colher de óleo
1 folha de louro
8 dentes de alho
1/4 de xícara (chá) de suco de limão
1 colher (sopa) de cominho (usei em grão)
1 colher (chá) cheia de tempero harissa ( opcional)
1/2 xícara (chá) de tahine
2 colheres (sopa) de azeite extra virgem
1 colher (sobremesa) de sal
1/2 copo de água mineral  gelada

Modo de fazer:

Se for usar o grão de bico seco, deixe reidratando em uma tigela com bastante água. O dobro do volume do grão de bico. No dia seguinte, escorra a água. Coloque o grão de bico em uma panela de pressão com água. Dois dedos acima do grão de bico. Coloque a folha de louro, três dentes de alho e o óleo.


Deixe cozinhar por 30 minutos ou até que fique macio. Use fogo médio.


Espere acabar a pressão e abra a panela. 


Escorra a água e retire a folha de louro. Se for usar o grão de bico em conserva, comece a receita por aqui.


Coloque o grão de bico  no processador (ou liquidificador) juntamente com mais 5 dentes de alho cru. Se não gostar do sabor de alho reduza a quantidade. Junte o tahine, o azeite, o cominho, o sal, o suco de limão e por fim o tempero harissa, que é uma mistura de temperos de origem marroquina. A base é a pimenta vermelha,   misturada com várias outras especiarias. Este item é opcional, mas eu uso porque acho que agrega sabor, cor e aroma ao homus.


Ligue o processador e deixe até que a mistura se transforme em um creme espesso e homogêneo. Se ficar muito firme, e quiser mais cremosidade, acrescente um pouco de água mineral gelada e misture bem.

Prove o sal e corrija, se precisar. Sirva ou guarde na geladeira até a hora que servir. Se ressecar um pouco, aumenta a cremosidade com um pouco mais de azeite.



terça-feira, 10 de janeiro de 2017

Creme de inhame



O inhame é da mesma família da batata doce e do cara. Tem propriedades que ainda estão sendo estudadas, mas com certeza fortalece o sistema imunológico. Sem falar que é nutritivo e não é dos mais calóricos. Só isso já deixaria o inhame muito interessante, mas há estudos que sustentam, que o consumo do inhame, reduz a possibilidade de contrair dengue, por tornar o sangue pouco  "apetitoso" ao mosquito transmissor. O inhame também tem um fito-hormônio chamado  diosgenina, que reduz os desconfortos típicos da menopausa. 
Não bastassem todas essas propriedades, ele é uma delicia. Escolhas os mais redondos e tenros e faça com eles um creme delicioso.

Estes da foto, são os que encontramos nos mercados, mas se quiser e tiver um pedacinho de terra disponível, plante alguns que já estejam brotados. Depois de algum tempo pode colher os seus.


Estes acabei de colher do meu jardim.



Depois de limpos e lavados.
Fica aqui a sugestão fácil e gostosa, para quem quiser experimentar.

Creme de inhame.
Ingredientes:
500 gramas de inhames
água
sal
2 colheres (sopa) cheias de  pasta de gergelim tahine (ou se preferir tempere com azeite de oliva ou óleo de coco)
3 colheres (sopa) cheias de salsa picada
pimenta do reino
cebolinha picada para decorar

Modo de fazer:

Lave bem os inhames. Descasque.


Já descascados



Proceda como no cozimento de batatas ou de outros legumes e tubérculos. Leve ao fogo em uma panela com água suficiente para cobrir os inhames. Tempere com sal, aproximadamente 1 colher (chá). Deixe cozinhar até que fiquem bem macios. Mais ou menos 25 minutos. Escorra a água.



Amasse com um amassador ou com um garfo.



Tempere com sal, pimenta do reino, salsinha picada ou azeite de oliva/ óleo de coco

Se optar pela versão temperada com tahine, você terá uma preparação mais rica em proteínas. 


Cada colher (sopa) tem 4 gramas de proteína. 


Junte o tahine, sal, salsinha picada e pimenta do reino. Misture bem. Decore com cebolinha picada.